Combatendo a Pobreza

A Pro-Natura defende que o processo participativo é o único veículo viável para o desenvolvimento sustentável, a resolução de conflitos e melhoria econômica para as comunidades pobres e marginalizadas.

BiocharFR1
Biochar2
biochar3
Biochar4
Biochar5
biochar6
Biochar7
Biochar8
Biochar9
Biochar10

Pelos últimos 22 anos a Pro-Natura tem sido pioneira, e demonstrado de forma bem-sucedida, o desenvolvimento participativo em comunidades rurais; fortalecendo instituições existentes e criando capacidade comunitária para avaliar, planejar, gerenciar, monitorar e avaliar suas próprias necessidades de desenvolvimento. O Desenvolvimento Comunitário Participativo representa a melhor chance de garantir a distribuição justa de benefícios direcionados para as comunidades: garantindo que seu desenvolvimento seja inclusivo, tenha a participação equilibrada de homens e mulheres, e seja justo. Esse processo de desenvolvimento baseado na comunidade ajuda a promover a paz e a segurança entre comunidades. As comunidades aprendem que devem aplicar soluções locais a problemas locais, em áreas que incluam a redução da pobreza, saúde, educação, desenvolvimento de infraestrutura em pequena escala, melhor gestão de recursos naturais, conflitos violentos e prevenção da captação de benefícios.

Veja como exemplo o icônico Projeto Juruena no Brasil:

Jurena Part 1
Jurena Part 2

Treinamento da Comunidade e do Governo Local em desenvolvimento sustentável

Instituto para o Desenvolvimento Sustentável do Delta do Niger – Nigéria

Criado com a missão de promover a justiça social e práticas justas de desenvolvimento comunitário participativo, o ISD coloca as preocupações dos menos favorecidos financeiramente em primeiro lugar. Atualmente é amplamente reconhecido que o desenvolvimento sustentável, principalmente em áreas rurais, depende da presença nas comunidades de instituições funcionais capazes de avaliar, planejar, priorizar, implementar e monitorar o desenvolvimento das iniciativas da comunidade de acordo com as necessidades identificadas por ela mesma. Essas instituições também servem de exemplo de boa governança, de formas de se resolver conflitos e trazer jovens para o processo decisório, dando a eles uma voz e uma alternativa à violência. Para alcançar isso, o Delta do Niger precisa de mais instituições de desenvolvimento, como Fundações de Desenvolvimento Comunitário; mais ONGs para facilitar o desenvolvimento institucional no nível de base; mais instrutores para capacitar e ajudar no desenvolvimento de habilidades e mais pesquisadores para monitorar e avaliar o progresso e para desenvolver tecnicamente as mensagens corretas para os instrutores passarem adiante. O ISD – Instituto para o Desenvolvimento Sustentável (Institute of Sustainable Development) tem por objetivo preencher essa lacuna através da capacitação individual e institucional para o desenvolvimento de uma comunidade participativa; construindo uma a sociedade civil necessária para uma boa governança, paz, segurança e uma boa gestão de recursos e através de ligações com instituições acadêmicas nacionais e internacionais interessadas numa pesquisa mais profunda sobre as questões de desenvolvimento e os conflitos no Delta. Veja mais em:
www.pronatura-nigeria.org

O Agroflorestamento e a agricultura sustentável são fundamentais para a segurança dos alimentos além de contribuir significativamente para a mitigação das mudanças climáticas

Práticas agrícolas não sustentáveis são a maior causa do desmatamento e do aquecimento global. Mais ou menos 20% das emissões de gases do efeito estufa – o equivalente às emissões de todos os carros, caminhões, aviões e navios juntos – é causado pelo desmatamento das florestas tropicais.

A Pro-Natura promove o agroflorestamento, o sistema que aumenta a produtividade através da combinação do cultivo de safras e/ou a criação de animais em ambientes florestais. A oportunidade é descrita pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPPC): “Mais de um milhão de hectares estariam adequados para a conversão para o agroflorestamento de alta produtividade, com potencial para reduzir significativamente a pobreza e o desmatamento com o isolamento do carbono em grande escala”.

Por quase 25 anos comprovamos a eficácia do agroflorestamento na América Latina, África, e Ásia, onde instalamos centros de treinamento prático para os agricultores. Particularmente, desenvolvemos técnicas de multiplicação de árvores que dobram a produção de frutas, além do primeiro manual sobre agroflorestamento, disponível atualmente em francês e português.

Como exemplo, O Parque Nacional de Taï, na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO, é o principal vestígio de uma floresta tropical primária bem preservada no Oeste da África. A Pro-Natura, em parceria com a ONG local, Vie et Forêt, vem desenvolvendo um programa de treinamento prático em agroflorestamento para atender às necessidades das comunidades rurais que vivem na periferia do parque, e reduzir a pressão sobre os recursos naturais locais.

Grandes aumentos na produção de alimentos com a utilização do biochar

Por sete mil anos índios na região da Amazônia vem fertilizando o solo com a utilização do carvão da madeira carbonizada, conhecido como biochar, e uma variedade de lixo orgânico resultando num solo de fertilidade excepcional chamado de Terra Preta. Hoje sabemos que o biochar atua como um catalizador facilitando a fixação da água e de nutrientes e no desenvolvimento de uma população rica em micro-organismos, que por sua vez é responsável por produções de safras cada vez maiores e mais resistentes. Experiências feitas pela Pro-Natura no Senegal utilizando o carvão ecológico como biochar, em parceria com autoridades renomadas como o Professor Johannes Lehmann da Universidade de Cornell e o Professor Bruno Glaser da Universidade de Bayreuth, mostraram aumento na produtividade do plantio de 50 para 200%.

O Biochar produzido com a tecnologia criada pela Pro-Natura não gera os mesmos problemas ambientais associados ao carvão da madeira carbonizada, pois o biochar é um carvão ecológico, isso significa que o carvão é produzido apenas a partir de biomassa renovável (resíduos da agricultura ou do florestamento, plantas invasivas, etc.). É produzido por um processo contínuo de carbonização, eficiente e ecológico ao mesmo tempo, através de um equipamento chamado de Pyro-6F, atualmente fabricado pela Green Charcoal International.

Essa prática agrícola ajuda a aumentar significativamente a produtividade através da incorporação de uma única aplicação de um quilo de biochar por metro quadrado.

Super Hortas com biochar fornecem uma dieta balanceada para uma família de dez pessoas por todo o ano em um pedaço de terra que não chega a 60m2 utilizando 80% menos água

A Pro-Natura International desenvolveu, em parceria com a JTS Seeds, uma Super Horta altamente inovadora, ecológica e super produtiva. Inicialmente planejada para a África, essa horta fértil produz uma dieta perfeitamente balanceada para 10 pessoas numa superfície de 60m2. É uma combinação do Improved Tropical Garden da JTS e do Biochar da Pro-Natura. Essa horta é a promessa de um futuro mais rico e promissor para todo o mundo.

Resultante de 15 anos de pesquisa e 30 anos de trabalho de campo, e projetada para o clima tropical, a Super Horta é uma forma de cultivo intenso e ecológico de legumes e verduras que produz mais de uma tonelada de hortaliças por ano em apenas 60 m2, fornecendo uma dieta nutritiva para uma família de 10 pessoas. O kit inclui sementes não modificadas geneticamente de alta produtividade, adubos, e aparelhos de irrigação adaptados com equipamento inovador (cobertores para plantas, ferramentas, etc.). A produção, constante por todo o ano independentemente das estações, é de aproximadamente cinco semanas para as culturas de ciclo curto. Esse sistema permite a redução do consumo de água em mais de 80% e reduz o trabalho necessário para duas horas por dia.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn